Home    

Manifestações de 13 de dezembro na Paulista

De novo, milhares de pessoas foram para a Av. Paulista neste domingo, 13 de dezembro.
E, de novo, a multidão pedia o fim da impunidade, enaltecia a "Operação Lava-Jato", o juiz Sergio Moro e mais: o impeachment da presidente.


Esse novo espetáculo de democracia tomou as ruas contra os desmandos, a corrupção generalizada e a velha impunidade. Pediam a saída da presidente, seja pela ação, seja pela omissão em tratar dos destinos da nação, como se isso fosse a solução para a crise que assola o país.


Existem várias razões para pedir a saída da presidente como o peculato, favorecimento, improbidade e vários outros, mas não há nenhum argumento legal que se baseie na incompetência do mandatário.


A presidenta tem certa razão quando diz que não cometeu crimes, que as pedaladas fiscais são uma prática comum em todas as esferas de governo e os tais desmandos foram cometidos por pessoas que não a envolveram diretamente, mas que formam uma quadrilha a favor do poder e a quem ali estiver.
Pode-se dizer apenas que esse dinheiro foi utilizado na promoção do partido e seus candidatos nas eleições, sem provas, mas com fortíssimos indícios disso.


A manifestação foi pacífica, como as demais, a ponto de vermos policiais prostrados nos pontos chave da avenida sem muita preocupação com o que estava acontecendo. Tropas de choque em alguns cruzamentos e o famoso vão do MASP cheio deles, igualmente despreocupados.


A violência do ato, contudo, foi para o lado que não se imaginava: os repórteres da Rede Globo. Pude ver várias pessoas hostilizando e xingando esses profissionais, identificados pelo microfone com o logotipo da emissora.
O mesmo não acontecia com outros profissionais, apesar de que todos, sem exceção, tem alguma direção editorial.


Mas a Globo é diferente. O "campeão de audiência" é visto como uma máquina de lavagem cerebral e instrumento do imperialismo a serviço dos mais fortes. A Globo é sempre lembrada pelas questões envolvendo a ditadura militar, além da demora em dar a devida atenção a algum fato político contrário aos seus interesses.
Como qualquer veículo de mídia, a Globo também é parcial nas suas reportagens. A Record mal mencionou o Papa Francisco no Brasil e a Jornada Mundial da Juventude. A Folha de São Paulo dizia ter "o rabo preso com o leitor". E vários outros veículos de mídia que tem opiniões tão isentas quanto o cartasabertas.com !


Mas é isso o que faz o espetáculo da democracia. Cada um puxa a brasa para a sua sardinha.
O mundo é assim. E aqui não é diferente.


O fim das contas é que todo mundo mente e todo mundo quer mostrar apenas a verdade dos outros.


Veja dois vídeos da manifestação:


 Vídeo 1 - Carro de som e balões com os retratos


 Vídeo 2 - Enorme Bandeira verde e amarela sendo carregada




NE: "Quadrilha" (1954), é um poema de Carlos Drummond de Andrade




Comments